Oi?

Enfim,
nu,
como vim.

Paulo Leminski

17 abril 2007

Futebol não é esporte. Não faz bem à saúde, não traz longevidade, não afasta das drogas, não melhora o caráter. Futebol quebra o joelho, as costelas, o nariz, abre o supercílio. Fair play é viadagem de inglês. Não se deve respeitar o adversário, deve-se, pelo contrário, humilhá-lo, de preferência na frente da sua torcida. Para humilhar, prescrevo o drible. Mas também serve uma boa surra, dependendo da ocasião.

Futebol não é jogo, não vence o mais preparado, não vence quem treina mais. Parreira mente. Garrincha era torto e bêbado e genial. E, dizem, tinha um pau enorme. Daí, talvez, a rouquidão da Elza Soares. Vence a equipe que deixar mais lances para a eternidade, muito além do placar. Não se ganha com esquema tático, mas sim com culhões, cérebro e coração, nessa ordem.

Futebol é acerto de contas, é o gol de mão do Maradona contra a Inglaterra vencedora da Guerra das Malvinas. Futebol é masoquismo, é Beckembauer com a clavícula quebrada jogando contra a Itália na semifinal da copa de setenta. Futebol é briga de rua, Romário cravando as chuteiras no peito do zagueiro que agredira Edmundo. Futebol é ressurreição, Ronaldo morto duas vezes ganhando a copa de dois mil e dois. É ofender o bobo da corte, Denílson contra os cinco turcos. O futebol é a vingança do favelado. É a bala perdida boiando por dez anos dentro da cabeça do pai de Adriano, o Imperador preto do Complexo do Alemão. É Adriano vomitando essa bala com a canhota na gaveta da trave do goleiro branco argentino. Buenos Aires é a capital da puta que o pariu. Aqui é macaquito seis estrelas, mané.

Futebol é, enfim, coisa pra homens que já nasceram com saudades. Das guerras, e não das primaveras, que não viram.

E o maior destes homens se chama Zinédine Yazid Zidane.

5 comentários:

Vitor Camargo disse...

Concordância em gênero, número e grau. Soh penso duas vezes na última frase, neh... hehehe

Anita disse...

Dêja vú.
Hahahahahahahhaa.
Muito bom.
Você gosta do Rogério Ceni ? :D
Hoje tem é Libertadores.
Amém :*

Poeta Suburbano disse...

eu tbm acho!
futebol é pra macho, macho violento, que mesmo depois de arrancar um tampo do dedo, joga areia pra estancar o ferimento e continua correndo atras da bola!
igual eu via meus tios fazendo, quando eu era muleque!

Mah disse...

Danilo, tô encantada com seu blog.

Depois dá uma visitinha no meu? Não tá à altura, mas tá valendo!!!

=***

Mah disse...

http://palavrasemnegrito.blogspot.com/