Oi?

Enfim,
nu,
como vim.

Paulo Leminski

28 janeiro 2008

Nós éramos doze homens numa tarde chuvosa de 1959. A chuva transformara a serra num chiqueiro. Nós éramos doze soldados chafurdando na pocilga com armas enferrujadas. Ou melhor, onze soldados. Onze soldados e um comandante. Um comandante que disse aos onze soldados molhados e fodidos, que se éramos doze a guerra já estava ganha. Nós ganhamos a guerra e o Comandante venceu a história. O Comandante venceu a história, essa puta cheia de modas, porque acabou com a fome, com a miséria, com o analfabetismo, e tudo isso mesmo com as sanções impostas pelo império. Naquele dia, há 49 anos, quando ele disse que ganharíamos a guerra e eu acreditei, confesso que não imaginei que aquela vitória fosse ser tão absoluta. Nessa noite, milhões de crianças dormirão nas ruas. Nenhuma delas é cubana. Agradeçam ao Comandante.

7 comentários:

Vitor Camargo disse...

Moleque...
o Comandante viveu os queridos anos cinqüenta... Lutou por eles...

E o texto tá demais...

Paulo disse...

Saudosa Cuba de tempos atras... Aqueles que nunca se atreveram a entrar na baia de Habana agora virão salivando e sedentos pela miséria alheia. Esta agora se elegerá com urnas de couro e pano, bem vigiada pelas forças da ONU.

Mah disse...

g
e
n
i
a
l

La Habana, ahora, es una leyenda.

Cineasta 81 disse...

Parabéns comandante.

Chico Motta disse...

é rapaz, parabéns. Porém, não sou tão saudosista quanto tudo que houve por lá, Acho que seria pior sem , mas não acho que foi perfeito..

Ana Júlia disse...

Dispensa comentários, bã. :*






Atualiza!!!!!!!!!

Daniel Carvalho disse...

porra mlq, a historia o absolvera!! Salam...

Teus textos sao muito foda, como disse a ana ``atualiza porra``

bjunda