Oi?

Enfim,
nu,
como vim.

Paulo Leminski

18 fevereiro 2010

Ivan, o temível

Ivan é feio. Feito um fela da puta. Tem duas orelhas de abano penduradas numa cabeça minúscula. Se a lei da gravidade fosse séria, aquelas orelhonas, duas bigornas de toneladas de chumbo, já teriam arrancado do corpo - grande e magro - de Ivan aquela cabeça pequenininha.

Não pensem vocês que a cabeça de Ivan, por ser tão pequena, é lúdica ou infantil. Muito pelo contrário. O rapaz das orelhas gigantes e da cabeça pequena também tem olhos de psicopata e um sorriso nervoso de quem já fez muita maldade nessa vida.

Ivan, que é como os íntimos chamam Odivan, trabalha de vigia noturno em um bloco residencial na Asa Sul. Trabalha 6 noites por semana, 10 horas por noite, apesar do que dizem as leis trabalhistas. Ganha 850 reais por mês.

Dentro de seu escritório, uma cabine de não mais de 3 metros quadrados, Ivan tem uma televisãozinha de 10 polegadas e um estilete. A tv ele nunca desliga, diz que ajuda a não dormir. O estilete, graças a Deus, nunca usou.

Nos finais de semana, Ivan entra nos chats de relacionamentos da UOL pra conhecer mulheres. É uma boa estratégia, posto que, diferentemente do que aconteceria no face-a-face, a feiúra do rapaz, na internet, não rouba totalmente a cena. Se mandar bem no papo, e Ivan é bom de papo, e conseguir combinar um encontro pra dali há uns dias, as moças que lhe encontrarem, mesmo que se assustem com tamanha feiúra, terão de ser mais delicadas para correr dele do que as totalmente desconhecidas que abordaria nas baladas.

Ivan é feio, tem cara de mau, é pobre, tem arma e adora internet.

Mas ele só quer conhecer umas garotas e comprar uma casa própria.

4 comentários:

Vitor Camargo disse...

Se o nosso livro rolar, daqui uns anos vou querer roubar vários personagens teus...

Bom pra caralho, velho... como de costume.

Bruna disse...

Ivan,

"You're beautiful, no matter what they say...words can't bring you down"

Não é porque aquele que te descreve tem essa imagem de você que todo mundo vai te pintar da mesma forma. Lembre-se sempre, querido: "O que Pedro fala de Paulo diz muito mais sobre Pedro do que sobre Paulo" (Jung). Pense nisso.

Te amo, Ivan.

Um beijo

Srta. Clichê! disse...

Muito bom!

juliet disse...

iuuu!!!
Ivan o arrebatador de cérebros!
mandou, mandou -
curte nóis tb:
http://madamefelixculpa.blogspot.com/